642 coisas sobre as quais escrever + Tema 2 [642.1]

Olá, pessoas! 😀

Conheci na semana passada o projeto 642 Coisas sobre as quais escrever no blog da Alice Tesch, o Diários de Arquiteta, e me apaixonei pela idéia. Faz um tempo que não escrevo nada e acho que o projeto é uma ótima maneira de recomeçar. Vocês podem conhecer a lista de temas e ler os textos de outras pessoas neste grupo do Facebook.

Resolvi começar pelo segundo tema:“Você é um(a) super-herói(heroína). Quais são os seus super poderes e como pretende usá-los? “. 

 

“Subiu as escadas do prédio correndo. Sentia o sangue pulsando nos ouvidos. Sua mão tremia. A qualquer momento iria enlouquecer, mas faltavam apenas quatro andares pra chegar ao topo. Trinta andares pra ficar segura e manter os outros seguros. Respirar ardia e suas pernas estavam tão bambas que mal conseguia continuar. Mas precisava. Fez contagem regressiva até os degraus acabarem. Sua visão começava a apagar. Abriu a porta do terraço, correu até a borda do prédio, pulou.

E agora era ela, as estrelas e o vento. Deixou-se cair por um tempo – uns vinte andares? – até recomeçar a subir. Não podia chegar muito perto do chão, não na cidade; odiava admitir, mas ainda não era tão boa quanto seus pais. Voar no ambiente urbano era incrivelmente difícil. Não sabia muito bem porque sua família voava, mas adorava tudo. O frio arrepiando sua pele, o vento bagunçando seus cabelos, as estrelas como companhia, a cabeça ficando vazia… era como retornar a sua própria pele após anos em um corpo estranho.

Sempre tivera problemas para controlar raiva. Não era agressiva frequentemente, mas havia um limiar que se ultrapassado tornava impossível retornar ao seu estado normal. Nessa “outra” condição, a menina meiga e doce tornava-se completamente insensível e vingativa. Tirando a desorganização, era a típica capricorniana. E como todo capricorniano, a ira não podia ser parada.  A não ser que voasse. No momento em que seus pés deixavam o chão ela se reencontrava: tudo que ela era e queria ser.

Ficaria ali por umas boas horas até se acalmar, recuperar seu controle e ter novamente capacidade de agir – agir de verdade, não reagir-. Então, quando se sentisse pronta, voltaria para a terra e salvaria seu mundo.”

Eu não acredito em grandes poderes, mesmo tendo recentemente me apaixonado por histórias de super-heróis (Mulher Maravilha <3), acho que ficamos presos a grandes resgastes quando na verdade os pequenos incêndios são muito mais resolvíveis (hehe). Então minha conclusão foi: não quero salvar o mundo, mas adoraria voar e acho que isso sim me ajudaria a fazer o que eu pudesse.

E vocês, que super-poder gostariam de ter? Estão participando do projeto também? Deixem o link nos comentários!

Beijão!

 

Anúncios